Resenha | Procurando Dory



Olá, pessoas! Ontem eu fui ao cinema prestigiar a super aguardada continuação de "Procurando Nemo", o filme "Procurando Dory" em sua estreia nas telonas brasileiras! O filme do peixinho Nemo é um dos meus favoritos desde quando eu era criancinha e quando a continuação foi confirmada, fiquei muito ansiosa para poder voltar a acompanhar os peixes mais legais do mundo após 13 anos e curiosa para saber o que poderia ter acontecido com a Dory.

"Procurando Dory" já começa com um super "ownnnn" do público, mostrando a peixe bebê com seus pais, treinando sua fala para explicar para os desconhecidos que ela possui perda de memória recente. A história principal do filme é baseada na tentativa de Dory lembrar que esqueceu seus pais e que está em busca dos mesmos desde quando era pequena, quando se perdeu deles. Somos apresentados a um processo de esquecimento muito triste enquanto ela sai perguntando para todos os peixes que encontra se eles podem ajudá-la a encontrar os pais até quando sua memória não consegue lembrar nem mesmo do fato de que estava em busca de algo. 


http://paintingflowersforya.tumblr.com/post/146703451527/when-daddy-is-telling-a-story
A cena do encontro desajeitado dela com Marlin ainda no primeiro filme é mostrada de uma forma bem nostálgica, e a partir daí, após um ano do esbarrão, a Dory, o Marlin e seu filho Nemo ficam bem próximos. Vários elementos e referências do filme original aparecem em algumas cenas, como o professor arraia, as tartarugas viajantes, o "baleiês" e a origem da música "continue a nadar". Diante alguns acontecimentos e perguntas dos amigos do Nemo, Dory consegue recuperar a memória distante que ela possui uma família. O filme é repleto de flashbacks que mostram cada etapa da recuperação de suas lembranças. Determinada a encontrar seus pais, Dory pede ajuda do Marlin e do Nemo para lhe guiar nessa jornada e eles, de bom grado e por retribuição a tudo que ela fez na busca pelo Nemo, aceitam.


http://entertainingtheidea.tumblr.com/post/140331400106/never-give-up-never-forget-and-keep-swimming-with

O filme é repleto de boas piadas e personagens muito bem construídos (como é de costume da Pixar). Eu não consegui tirar a expressão de sorriso durante a maior parte do filme, deixando-o de lado apenas nas cenas de tensão e tristeza. É uma história repleta de aventura e lições de autoconfiança e de conhecimento próprio. Dory evolui e fica mais madura a cada conquista que consegue realizar durante o filme, e com a ajuda de suas amizades e da lembrança de seus pais super bondosos e atenciosos, ela passa a confiar em si mesma e podemos até notar um grande avanço na sua memória de médio a longo prazo.

A história não se difere muito da original, contudo vale muito a pena pela diversão e nostalgia que o longa consegue passar. A produção e fotografia de "Procurando Dory" me impressionaram muito. O primeiro filme já era muito bonito e bem trabalhado na época (2003), contudo, essa continuação possui cenas que beiram a realidade, me deixando super empolgada com a evolução da Pixar, o que também senti no curta-metragem "Piper". A trilha sonora combina muito bem com a trama, deixando cenas mais intensas e outras bem emocionantes. Foi uma experiência única, e como disse a Dory no final do filme:  inesquecível.


http://entertainingtheidea.tumblr.com/post/140331400106/never-give-up-never-forget-and-keep-swimming-with

Outra coisa que eu queria discutir pode ser um assunto meio chato para alguns, mas tenho que falar sobre as crianças no cinema. Eu acho super normal e até mesmo legal os pais levarem os filhos para ver um filme no cinema, mesmo que eles não se comportem super adequadamente, ainda é uma ótima forma de passar o tempo e os filmes transmitem risadas e até lições para eles. O problema, na maioria das vezes, são os pais. Na sessão em que eu estava, um adulto achou super normal tirar a foto do filho em frente ao telão que já estava exibindo o filme com um flash supremo, repetidas vezes. Às vezes acho que essas redes sociais vão acarretar em implantes de câmera para compartilhar a vida 24 horas por dia.  

Espero que tenham gostado! Até mais!

5 comentários:

Marcela Fabreti de Oliveira disse...

Preciso MUITO ver esse filme! Já estou quase chorando de nostalgia agora, imagina no cinema! hehehe
Sentimentaligrafia

Rayanne Buchweitz disse...

Não vejo a hora de ir ver o filme, a resenha me deixou com uma super vontade sair correndo e ir agora mesmo hahahaha
Espero que na minha sessão não tenham pessoas assim ave
Beijão
querosermiranda.blogspot.com.br

Eulla Rennia disse...

Adorei o post, preciso muiiito assistir esse filme
mds
De uma passadinha no meu blog também
http://eullarennia.blogspot.com.br
xoxo

Angelica Andrade disse...

@Marcela Quando fui assistir só faltei chorar de nostalgia mesmo, é como se eu tivesse revivendo minha infância! Muito mágico.

@Rayane Que bom que minha resenha te deixou ansiosa! Pode ir correndo que vale super a pena mesmo. Boa sorte com as pessoas na sua sessão kkkkkkkkkkkkk.

@Eulla Ahh que bom que gostou do post! Assista mesmo, é fofo demaissss. Beijos!

Clayci disse...

Se eu encontrasse um pai desses, ele levaria vaia..
Sério que falta de respeito ¬¬
Comportamento de criança estou acostuma, afinal o filme foi feito para eles ahuhauhauha.. Mas, pais sem noção NÃO DÁ..

ainda não fui assistir e estou chateada, pq quero ir logo hauhauah
Beijos

Postar um comentário

O que você achou sobre esse post?