Séries | Freaks and Geeks



Olá, pessoas! Por um bom tempo eu andei procurando uma série que abafasse um pouco a minha saudade por My Mad Fat Diary, desde o dia em que esta foi finalizada. Em meio a tantas séries novas, especialmente as que são produzidas e lançadas na Netflix, encontrei por acaso uma das séries que mais gostei de assistir: Freaks and Geeks, com uma bela abertura com música "Bad Reputation".

Embora tenha sido exibida entre os anos de 1999 e 2000, a trama de Freaks and Geeks se passa no início dos anos 80 e é focada na vida de adolescentes que vivem em Detroit, Michigan (EUA) e frequentam a Liceu McKinley High School. Como o nome já sugere, há uma divisão nos grupos de amizade nessa escola, sendo os freaks e os geeks  as tribos mais desenvolvidas. A história acompanha a trajetória de Lindsay Weir, uma garota que sempre esteve entre as pessoas mais inteligentes e comportadas da escola e era o orgulho da família até se cansar dessa vida "certinha" e começar a explorar outras coisas e até amizades. Foi assim que ela começou a se aproximar, aos poucos, dos freaks.


Os freaks são inicialmente representados por 4 pessoas, Daniel Desario (James Franco), Nick Andopolis (Jason Segel, mais conhecido como o Marshall de How I Met Your Mother), Ken Miller (Seth Rogen) e Kim Kelly (Busy Philipps). Quando Linds resolve passar um tempo com eles, ela logo é tratada de forma diferente e sempre com olhares curiosos da nova turma, contudo não demora para que a tribo a aceite e a partir daí eles começam a andar juntos, explorando o mundo proibido e indisciplinar dos adolescentes nos anos 80.

Do outro lado do "muro" social, há os geeks, retratados por um grupo de amigos que gostam de ver Star Wars, fazer referências a Doctor Who e jogar RPG. Para mim, as cenas mais legais são as que os geeks principais, Sam Weir (John Francis Daley), Neal Schweiber (Samm Levine) e Bill Haverchuck (Martin Starr), aparecem. Os três são o foco de típicos valentões na Liceu McKinley High School, mas ao contrário do que acontece atualmente em casos de bullying, eles apenas aceitavam e às vezes se uniam e tentavam se vingar de forma parecida com a que sofriam. 



Essa série tem algo incrível que às vezes é esquecido em outras tramas. Cada personagem, mesmo os que menos aparecem durante o seriado, é profundamente explorado. Além da protagonista (Lindsay), que não parece ter uma certeza absoluta do que quer em nenhum momento da trama, vemos como os cada um dos freaks são inseguros de certo modo, sendo inseguros na vida acadêmica ou até por conviverem em um lar não tão harmonioso e sem o apoio dos pais para seguir com seus sonhos.

Na mesa do geeks, além das preocupações de acompanhar os seriados na TV e estar sabendo de todas as novidades do mundo nerd, também há as dúvidas comuns das crianças entrando no universo da adolescência, questionando o começo da vida amorosa e como a aparência e atitudes podem influenciar em como as outras pessoas irão te ver. E o mais legal deles é que mesmo depois de tantas tentativas para se tornarem pessoas descoladas e populares, eles nunca deixam de ser quem realmente são e gostar do que os deixam verdadeiramente felizes e satisfeitos.

http://trechosdeseries.tumblr.com

"Freaks and Geeks" se trata do autodescobrimento e como precisamos explorar e viver certos momentos para sabermos o que é ou não de nosso agrado, onde nos encaixamos melhor e com que pessoas podemos contar em qualquer momento. O mundo das drogas e de comportamentos ilícitos é bem explorado, especialmente por ter sido algo realmente comum na época em que a história se passa, e mesmo que às vezes esse assunto tenha sido abordado de forma divertida, há uma reviravolta onde os personagens começam a formar uma opinião e tomar consciência da situação. O relacionamento dos adolescentes com os pais também pode ser considerada um ponto forte na série, tornando certas cenas em ótimos aprendizados para aqueles que não dão valor a família que tem. 

Seu roteiro é bem próximo à realidade, possui inúmeras referências atuais (mesmo se tratando de uma série antiguinha) e a trilha sonora é impecável, contando com músicas de bandas incríveis como Led Zeppelin, Pink Floyd, The Who, The Smiths, etc. As piadas são realmente engraçadas e colocadas em situações bem criativas. Cada ator sabe representar bem seu personagem, especialmente o John Francis, que interpreta Sam Weir, que chama toda a atenção com suas caretas e olhares de indignação/nojo. James Franco, o Desario, também se destaca pela ótima atuação, convencendo a todos que ele possui certos problemas no final da temporada.


       

A única coisa ruim que achei dessa série é que ela possui apenas 18 episódios, e isso me deixou muito triste já que foi um dos seriados que eu mais amei assistir em toda minha vida! Então se você ainda não viu Freaks and Geeks, corre pra ver (tem na Netflix!), garanto que não vai se arrepender. 


Espero que tenham gostado! Até mais! 



2 comentários:

Rubyane Santos disse...

Como assim eu ainda não conhecia essa série?!
Mesmo ela sendo meio antiga (e eu evito séries e filmes antigos) eu me interessei por ela. Vou anotar o nome para assistir depois.
Adorei a dica! :D

Epílogo em Branco

Anônimo disse...

Só uma coisa, haha, a Linds é Weir, e não Lair :P
@lucasbarbosasep

Postar um comentário

O que você achou sobre esse post?