Rumo ao Oscar | Mad Max: Estrada da Fúria


Olá, pessoas! Hoje tem mais uma resenha especial do "Rumo ao Oscar", em que escreverei sobre o filme "Mad Max: Estrada da Fúria" (Mad Max: Fury Road), o quarto filme da franquia Mad Max (não, não se trata de um remake), criada e dirigida por George Miller.

Ano passado, quando fui ver esse filme no cinema, eu não conhecia absolutamente nada dessa série de Miller, mesmo esta tendo uma popularidade imensa e até contar com a atuação de Mel Gibson como protagonista nos primeiros filmes. Apenas achei interessante o trailer que mostrava a ambientação pós-apocalíptica e a ação envolvendo carros malucos que soltavam fogo. Me surpreendi.

"Mad Max" não é um filme de ação ou de carros comum. É uma produção insana que prende a atenção do começo ao fim com suas cenas intensas e a personalidade forte de seus personagens. A história corre em volta do protagonista Max Rockatansky (Tom Hardy), um ex-policial conhecido como o "Guerreiro das Estradas" e anda sozinho com o único objetivo de sobreviver, sempre atormentado pelas pessoas de seu passado. Max logo é capturado pelo clã do Immortan Joe, que lidera a civilização desse mundo pós-apocalíptico, e passa a ser uma espécie de doador de sangue e enfeite em um dos carros do líder.



A sociedade retratada no filme sofre com a falta de água e uma busca implacável por combustível após um conflito termonuclear, o que transformou a Terra num imenso deserto, o que é explicado brevemente no começo do longa e igualmente em algumas passagens depois. Immortan Joe se diz o redentor das pessoas por dominar a Cidadela que parece um oásis em um deserto repleto de tempestades de areia, sendo o único com o poder de fornecer alguns segundos de água para elas quando bem entende, além de possuir vários meios para busca de gasolina.  

Em uma dessas buscas por combustível, Immortan Joe confia a Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) a tarefa de sair pelo deserto dirigindo uma super máquina e reservatório para trazer o bem precioso até a Cidadela. Contudo, durante essa jornada, Furiosa muda de ideia e resolve seguir outro caminho, em busca de sua terra natal, tentando fugir do Immortan Joe e salvar as escravas sexuais que ele mantém dentro do comboio. A partir desse momento, Furiosa se torna uma personagem muito marcante, com suas atitudes bem pensadas e coragem de sobra para enfrentar qualquer perseguição e tentativa de destruição. O caminho de Max se cruza com o dela, forçando os dois a chegarem a um entendimento, já que ambos só poderiam sobreviver com uma ajuda mútua. 



O desenvolvimento do filme conta com perseguições extremas de máquinas peculiares e muita, muita ação. Os carros malucos ganham destaque durante as corridas, pois cada um é bastante diferente do outro, além dos personagens que dirigem e "enfeitam" eles, como o que mais me surpreendeu: um guitarrista pendurado em cima de uma dessas máquinas tocando uma guitarra que solta fogo! Algo que também me chamou muita atenção, foi a cena que ocorre dentro de uma gigante tempestade de areia, ela se tornou de longe a minha favorita do filme.

Podemos perceber que há muitas críticas voltadas à objetificação feminina e aos auto-sacrifícios em prol do Immortan Joe e suas promessas além-vida, como no caso das cenas que mostram uma "ordenha" de mulheres para a obtenção de leite e dos momentos em que os seguidores do líder gritam "testemunhem!" e faziam algo suicida. É possível extrair várias reflexões de "Mad Max", principalmente por se tratar de um futuro distópico, em que o mundo não é mais o mesmo e sua civilização é oprimida.



Falando em termos técnicos, a maquiagem, a fotografia e os efeitos especiais desse filme foram o que mais me surpreendeu. Igualmente aos outros filmes da franquia, "Mad Max: Estrada da Fúria" conseguiu passar a imagem dos personagens bizarros e esquisitos, do sangue e da sujeira, além da ambientação característica de um deserto infinito e as cores que nos faz imaginar um calor sinistro que deve fazer ali. Foi um belo trabalho feito pelo diretor George Miller, que mesmo depois de todo esse tempo conseguiu nos passar o que queria. É um ótimo filme para quem gosta de ação, carros e personagens de atitude e com o intuito de fazer as coisas certas!

Indicações de "Mad Max: Estrada da Fúria" no Oscar 2016:

  • Melhor Filme
  • Melhor Diretor (George Miller)
  • Melhor Fotografia
  • Melhor Direção de Arte
  • Melhor Montagem
  • Melhor Figurino
  • Melhor Maquiagem e Cabelo
  • Melhor Edição de Som
  • Melhor Mixagem de Som
  • Melhor Efeitos Visuais

Espero que tenham gostado! Até mais!

2 comentários:

Clayci disse...

Tem que levar no mínimo a melhor direção de arte..
A fotografia tbm está impecável..

Mari disse...

Eu nunca iria ter assistido esse filme se não fosse pelas personagens femininas e todas as críticas ao machismo. Fico feliz que tenha ganho tantas indicações ao Oscar, merece levar!
Beijos
Mari
www.pequenosretalhos.com

Postar um comentário

O que você achou sobre esse post?